domingo, 14 de julho de 2013


O que sonha acordado e acorda dormindo

 

O que é raro, puro e genuíno

 

O que pode extrapolar o óbvio

 

O que dentro e forte ressoa

 

O que alcança o indivisível

 

O que ilumina e faz vibrar

 

O que excita na lira

 

O que silencia

 

do mito,

do amor!

 

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário