sábado, 27 de agosto de 2016

Caça-se com o cão
mas, quem caça o cão


caco caótico do oco
cavado com a mão

avesso do in verso?
universo em expansão

pedaço de músculo
coração


Ama-se com o não
mas, quem ao não amou
então?



sexta-feira, 12 de agosto de 2016

PALAVRAS



PALAVRAS

        Sylvia Plath


Golpes
De machado na madeira,
E os ecos!
Ecos que partem
A galope.

A seiva
Jorra como pranto, como
Água lutando
Para repor seu espelho
Sobre a rocha

Que cai e rola,
Crânio branco
Comido pelas ervas.
Anos depois, na estrada,
Encontro

Essas palavras secas e sem rédeas,
Bater de cascos incansável.
Enquanto do fundo do poço, estrelas fixas
Decidem uma vida.


(tradução de Ana Cristina César)

.



                                                                 * Imagem: http://www.deviantart.com/
Perdi minha inocência quando ela fugiu com meu entusiasmo e disposição, consegui agarrar minha espontaneidade que ia junto pelo pé, mas ela ficou em cima do muro, puxei-a pra baixo, ela caiu toda esfolada, ficou cheia de ranhuras, mas sobrevive bem, obrigada.


quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Inteira{mente}


Para viver de paixão é preciso:

Perder para tornar-se forte
Sentir para tornar-se humano
Sonhar para tornar-se raro