quarta-feira, 8 de junho de 2011

Precipite Acepipe


Dispus meu maná essencial no altar dos dias e das horas
regaço portentoso obducto
pra afundar comigo em meu abissal reduto
submergir para ir de encontro aos assombrosos corais
depois emergir ligeiro à meia- luz.

Mar aberto - veleiro errante
 Caudalosos horizontes
Prateadas transmutações em
peixes fosforescentes saídos das nascentes
entranhas da Terra

brisa difundida
líquida e gasosa
enlevos descontínuos
Têmperas alegorias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário