quarta-feira, 8 de junho de 2016

...



Céu azul cálido, dormente.
Atmosfera de presa que espreita a morte, pequena
de perto e desde de dentro subitamente ataca
na tentativa de tentar se proteger

Palavras esgueiram-se pelos poros anímicos,
enquanto anseiam pela violência íntima dos seus nãos


Nenhum comentário:

Postar um comentário