quarta-feira, 30 de junho de 2010

Ser (tão)


*Tarsila Amaral- Sol Poente

SER (tão) desertificado


No nada....

Em lugar algum.



Casebre abandonado

Esteira estirada

Assoalho- chão



Sótão Satà Russem

Sabiá cantou também,


Previsibilidade perecível

de vaga-lume em noite de mula sem cabeça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário