quinta-feira, 25 de maio de 2017




Para sentir o céu e sonhar a pedra
é preciso adormecer na vibração mineral
alcançar a vacuidade de seu abismo sonoro
e se lançar ao pertencer da mata fresca
suavizar feito gota de orvalho na asa da borboleta
e esticar raízes ao suspender altares alados
sobre as copas solares das árvores antigas
reconhecer os poentes de orientação
ascender e enternecer junto ao pulsar
do movimento da natureza sagrada-
matriarca do vale branco
de tantas estrelas cantantes e cadentes
curiosas em saber seu som sereno
desvendar seus mistérios milenares
e silenciar em flores naturais





Nenhum comentário:

Postar um comentário