domingo, 31 de julho de 2016

Como teu quimérico pensamento reage?



à exatidão do amor

Mostrar as garras seria ferir a presa
Enquanto comunicam-se tempestades de flores na minha mesa
girando no ventre dos peixes que choram
lágrimas de estrelas

sou a ponta firme que te abandonou

na noite escura,
mas não se apagou
de seu lume ficou
faíscas de aço

Posso te possuir
? no obtuso da esquiva
invertida e sinistra
serenar a ferida
aberta entre a pequena pedra de corte
e a desobsessão da espera
onde nenhuma perda
é inteira!

Nenhum comentário:

Postar um comentário