sábado, 26 de dezembro de 2015

sobre a fuga e outras calamidades

Um dragão pousou no pomar
fome fronte a fogueira originária
um céu de estrelas assombrava a noite escura
feito feridas menores e luminescentes
de esquivas transcendentes
enquanto espelhos retroagem
muita estima

Nenhum comentário:

Postar um comentário