quinta-feira, 31 de julho de 2014

Mergulhei até limites abssais
pressão que estoura em profundidade
e quando nem toda densidade for suficiente pra afundar
te procurar até que os contornos se amenizem e as luzes reminescentes
dos pequenos prazeres te despertem lentamente

Coroas de fogos
os anjos que nos circundam estão presos à anéis místicos
envolvem poderes e calores específicos

Profanas contundências
compassos harmoniosos

enquanto filamentos de sol alcançam
inauditos fragmentos e restauram florescencias


eu quero estilhaçar certezas hipócritas
encontrar a sintônia que escreve para mim, e para que?
Para comprovar que memórias se constroem no instante


Nenhum comentário:

Postar um comentário