sexta-feira, 6 de julho de 2012



Acima e abaixo dos seus olhos
nas extremidades quase cegas da visão,
movimentam-se sutis como sombras
pequenas nuvens anímicas
de pensamento pesado.
E como em desenho animado,
 negra plaina,
quando se auto 
engana

2 comentários:

  1. lindo poema, parabéns! lindo o blog, um prazer de leitura. ;)

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito! Muito bonito, sobretudo a formação dos versos construindo uma nuvem! Parabéns!

    ResponderExcluir