segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Porto Alegre- RS

Algumas imagens:

Mercadão

centro
catedral



"O fato de você viver em um mundo à parte não te isenta de participar deste".
                                                                                      
                                                                                  Flávia Amaro

sábado, 25 de fevereiro de 2012



A terra vermelha
Inflama
como fenda forte
e fantasia
pulsa
íngreme e inclina
rola cascalho e derriba
abrupta, repentina

ora fissura, ora vale
lombada, calombo
catarse

Água apressada, que corre_, água esquecida
Que a distraída terra bebe,
Hesita um momentinho na cava da minha mão,
Lembra-te!

Claro e rápido amor, indiferença,
Quase ausência que corre,
Entre teu excesso de chegada e excesso de partida
Treme um pouco de presença.

                                                 Rainer Maria Rilke, Jardins
                                                                         p.51

Rilke


Fica tranquilo se, um momento,
em tua mesa, o Anjo resolve:
apaga levemente as poucas rugas
da toalha embaixo do teu pão.

Ofertarás teu rude alimento,
Para que ele por sua vez o prove,
E que leve ao lábio puro
Um simples copo cotidiano.

  Rilke, JARDINS, p. 21

JARDINS- Rilke


Não é a justiça quem segura a balança precisa,
és tu, ó Deus de vontade indivisa,
que pesas nossos erros,
e de dois corações que martiriza e tritura
faz um coração de maior envergadura
que tem ainda o desejo

de crescer...Tu, que indiferente e soberbo
humilhas a boca e exaltas o verbo
para um céu néscio...
Tu que mutilas os seres ao juntá-los
À última ausência de que são pedaços.

Rilke, JARDINS, p. 59


---------//-----------


Façamos o múltiplo encontro
o que cabe em cada caso,
a fim de que a ordem se mostre
entre os motivos do acaso.

Tudo em volta quer que se o escute-,
escutemos até o fim;
pois o pomar e a estrada
somos sempre nós enfim!

Rilke, p. 63


--------//-------------



É a paisagem demorando, é um sino,
É do crepúsculo a parturição tão pura-;
Mas tudo isso em nós prepara o destino
De uma nova, uma cândida figura...

Assim vivemos nós um embaraço estranho
entre o arco e a flecha:
entre o mundo muito vago para alcançar o anjo
e Aquela que, de tanta presença, nô-lo fecha.

Rilke, p.153





sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

CARNAVAL


 nau           carnal

  na vã navalha


   carne junta


  de liga

     elástica e úmida

    na 
   rua



* Imagens captadas no carnaval de 2011 em Paraty-RJ




Citações sobre comida

                   * Imagem captada durante1º Encontro Internacional de Cultura          e Alimentação: O que é comer bem?  dezembro de 2011 - Porto Alegre/RS


El movimiento por el cual hacemos traspasar al alimento la frontera entre el mundo y nuestro cuerpo, lo de fuera y lo de dentro. Este gesto es la vez trivial y portador de consecuencias potencialmente irreversibles.” (FISCHLER: 1995, p. 65 e 66)

Los sistemas culinarios proporcionarían pues criterios de referencia en el ejercicio de las opciones alimentarias, criterios de naturaleza para resolver o reabsorber la angustia de la doble coacción y para autorizar la incorporación dándole un sentido.” (FISCHLER: 1995, p. 79)

 “Además de un riesgo, cada incorporación implica también una oportunidad y una esperanza: volverse más lo que se es o lo que se desea ser.”(FISCHLER: 1995, p. 69)



quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

infinitudes.


O lençol é manso
e o rio é fluído
Nós, tênues espelhos
                         de vapor de sombras
reflexos cinético-espontâneos

nossos
fios de conduta
tecendo frágeis tramas
advertindo proclama:

existem eras
promessas consagradas
que consolam e agregam
o aqui e agora ou o porvir eterno
    A prole
    O Pranto
A Planta sacra
germinando
no roto
da rima
Nódoa que brilha
Carisma
Dolo nó tolo
engodo de parasita
energiza e reclama
o que está acima e o que está abaixo
o reconhecimento
o agradecimento
o desprendimento final

As escolhas são pra sempre e o infinito
 tem olhos
   ..........

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

OjO


Por hora farei mistério quanto a origem e o significado desta imagem acima desenhada por mim, no entanto adianto que ela me apareceu em sonho ou em algum estado de consciência parecido. 
Peço solicitamente ao meu público leitor, que se caso alguém já o tenha visto ou faça qualquer associação a ele, que se manifeste ou me procure por email ou msn para conversarmos melhor a respeito.
Acompanho este post com uma pergunta aberta e destinada à vocês:

O que se sonha é seu?

EGO-OJO-EGO-OJO-EGO-OJO-EGO
OJO-EGO-OJO-EGO-OJO-EGO-OJO

                                                                                                  Atenciosamente, 

                                                                                                    Flávia Amaro



" Todo abismo é navegável a barquinhos de papel."

                                                            Guimarães Rosa

                                                               Tutaméia – Terceiras Estórias


domingo, 12 de fevereiro de 2012

Domingo no ninho


Instantes relevantes


Quero falar de amor e de virtudes reais, emitir todos os símbolos mundanos em processo, assumir as falhas, contornar os entraves e encarar de forma resoluta os laços que me cercam para além dos escolhidos, cumprir meu carma, assinar meu signo.


quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

fio de corte- pedra fundida

como se quisesse
ou como se pudesse
como?
me desligar...
roda do sofrimento budista, reencarnações espíritas
ectoplasmas, enganos, sortilégios, encantos
do eterno retorno
ainda que desloque
sou e vou estar
e continuar sendo
sinto
até quando?
não sei quanto
ainda sendo
ser serei
em essência psique
forma de desgarrar não há
perecer
em consciência  adormecida...
estamos fadados a sermos nós mesmos pra sempre,
por eras e eras a fio.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012


Esta noite não consegui dormir direito, sonhos vivos me contorciam
a poesia não confunde a contundente perspicácia de uma abstração sutil
pelo parco pensamento pesado, como quem pensa para falar em línguas
faca amolada de dois gumes: interpreto e sou interpretada
Reconheço-te!
naquele instante em que leves brumas suspensas em minha mão bailavam
quando meus olhos hesitantes em acompanhar
os balbucios dormentes
e as fontes cintilantes rodeadas de lírios e pássaros assoviando
iluminavam e continham
Num corte diametral: metade eu. (Metade quem?você?) Extensão de imaginação
difícil. Parecem enigmas das mais elaboradas qualidades. Simbologias.