terça-feira, 6 de dezembro de 2011

estratosfera


texturas sensíveis em doce dilúvio
sal de água do mar
delírio de cachoeira
ninfa de aguaceira
lírio de rio
sol em flâmulas
teias de aranhas
atrás dos montes vermelhos
prismas e pranas
convivas ambíguos
cratera chamando em assovios
todos os giros
da intuição aos fenômenos
ferrugem, barro cru, vinho tinto ou vaga-lume
alimento de abismo
pelas entranhas
imantadas
da Terra à estratosfera.



Nenhum comentário:

Postar um comentário