sábado, 8 de outubro de 2011

COCHICHO



Escuta o meu sussurro
No meio de lajotas e retalhos.
Saio alinhavando saudades
Não sei se vira tapete ou colcha
Só sei que tia Luzia está luzindo lá
Brincando de estar viva
Trazendo antigamente em cestas de vime
Com fitas, agulhas, linhas
E promessas de gente grande
E eu, menina de olho comprido,
Peço pra ser a moça dos sonhos.

Caseio textos nas salas do mundo
Prego botões de poesias nas minhas relações
Arremato com lantejoulas coloridas de adjetivos
Cirzo com verbos os remendos de tantas histórias.
Escapo pé- ante- pé, tiro os sapatos
Enrolo-me nas fitas, agulhas e linhas
Danço no salão das horas.
Bailarina, balanço a vida
Que me fala baixinho, baixinho:
Estou gostando da trama.
Toma tesoura, mais cor, pano, linha...
                           
                                    Lourdinha Barbosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário