sábado, 3 de setembro de 2011

prisma de ônix


 pétalas entalhadas em ônix
incrustada gutura
reluzindo em rimel
e negrume

 lágrimas borradas em ciliar escape
vazão de xorume orgânico
pontos cegos

---pontilhão de amálgama
tracejado de exaltação imprevista

 contrição de compulsão
coerção de esvaziamento

firmamento caído
 ilusionismo
fragmentado
Penas pardas
Anú
Inalterabilidade ordinária

O nada e as velhas estradas
Ruínas de recontar histórias
Pistas de signos em significância

Nenhum comentário:

Postar um comentário