terça-feira, 20 de setembro de 2011

no buraco simulacro...


A casa habitada por ratos
treme e tem vida própria
Som de madeira dilatada
Destilados humores faciais
Falcatrua falida fugidia
Membrana de prisma
Medusas no quintal de mamoeiros
A Deusa morta e enterrada viva
no monte de britas
deglutindo fritas de fast-food
como Mao Tse- tung
intacto cristal
em seu  mausoléu
 não pode ser foto(grafado)
num piscar de olhos de retrato
burcas de camuflagem
heterônimos hediondos hedonistas
holocausto na sua esquina
barbeiro canta Fígaro
or Orange clockwork
com folhas de parreiras
e dropes de hortelã
absinto muito por isso
no último telefonema pra marte
os marcianos se mostraram simpáticos
dizendo: te inspiro  abduzido
abrasiva brasa mora,
melindre quisto



Nenhum comentário:

Postar um comentário