quinta-feira, 8 de setembro de 2011


Altar pudico de forjada perdição
Ou a sacralização do profano -alheio adverso (crente inerte-inserido)
Materializações de intervenções doloridas à carne viva
tambor de exaltação-pele esticada/ mesa de sacrifício
consumação da membrana amorfa translúcida,
(Ectoplasma ocular- ameba animada) por meio de fórceps invasivo
material cirúrgico de exploração craniana
sondas e fios elétricos inseridos na cavidade nasal
mordaça
amarração nervosa
cauterização- sem anestesia
excedente que espira
de veias e variações nevrálgicas
vísceras
corte de lâmina fria
(branco etéreo)
papel rasgando, abrindo fissuras 
alegorias intumescidas- febre/letra
letargia

Um comentário:

  1. De vidro... Cortante!
    E, no entanto, muito bem construído num forte apelo aos sentidos.

    L.B.

    ResponderExcluir