sexta-feira, 6 de maio de 2011

Sonhos



                                                                                             Akira Kurosawa

Nos meus rincões são tantas estradas de percorrer
Trajetos para além de qualquer especulação
Ontologia que perpassa gerações
Um sentimento de pertencimento
E saudade daquilo que ainda não vivi?!
Déjà vu, intuição

Paralelo á rua
 aquela confraria mística no terceiro andar
de uma trilha do trem
matagal e um carro governado por ele mesmo
como uma carroça encantada nos sertões cerrados pro lado de cá
a estrada e a poça d’água
Cavalos e pássaros!

Um barco sobre a água turva
de tons opacos ao anoitecer
o bacanal, a boemia, a bebida
Os poços sulfurosos
a instabilidade
à deriva.



Nenhum comentário:

Postar um comentário