sábado, 30 de abril de 2011

Vênus de Milo e os Anéis de Saturno



I
Somos signos soltos e saqueados
Anéis de Saturno e Vênus de Milo
percorrendo trajetos efêmeros e circunstanciais ao acaso

em nossa torta órbita não habitamos
nossas translações desconexas
que são como satélites com sua luz própria
incandescentes


II
 criaturas enternecidas pela apatia
arraigadas em nexos prolixos agonizantes
percorrendo trajetos efêmeros e circunstanciais ao acaso


 III
como um cão pedinte
amparava torniquetes
sibila de silvo surgia
zuuummmmmm, zunia
algum “start”
um despertar quaquer
acontecia.


(escandescente é o deleite
de ler-te.)

4 comentários:

  1. Bem soltos bem loucos, saqueados adernados afundados, vazios de oco, cheios de si mesmo, mesmo de si cheios,
    todos, nós todos
    percorrendo trajetos efêmeros e circunstanciais ao acaso

    Gostei, gostei bem!

    ResponderExcluir
  2. Seu blog é muito bom por isso vim até o seu espaço e gostei muito do que li por aqui. Tenho um blog Tb gosto d++ de poemas. E estou te seguindo se VC puder da uma passada La no meu blog. VAI SER UM PRAZER SE PUDER ME SEGUIR...Bejs . Déia.........
    Esse é o link do meu blog
    http://wwwdeiablog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Também acredito no acaso. Mas ás vezes coicidências intensas demais balançam essa certeza. Acho que esse acaso não é tão casual quanto se imagina.

    =*

    ResponderExcluir