segunda-feira, 18 de abril de 2011


Há um tempo em que é preciso
abandonar as roupas usadas,
que já tem a forma do nosso corpo,
e esquecer os nossos caminhos,
que nos levam sempre aos mesmos lugares.
É o tempo da travessia:
e, se não ousarmos fazê-la,
teremos ficado, para sempre,
à margem de nós mesmos.

Fernando Pessoa

2 comentários:

  1. Hola, encantado de contarte entre las amigas de mis blogs. Sabes que estoy en una red literaria mundial que nace en España pero que tiene un grupo de Poesía Portuguesa. Me gustaría que te registraras. Esta es la dirección www.netwriters.eu
    Falamos. Pessoa es mi poeta favorito. Boa noite.

    ResponderExcluir
  2. Uma serpente sou. Sorrateira a trocar de escamas e máscaras.

    ResponderExcluir