terça-feira, 29 de março de 2011

Espanta-te

É que por ora
Passam à largo do sentimento,
Sanguessugas do lago negro,
que acostumaram-te a te tirar proveito

Tomaram-te de início num sorvo, num trago, num gole
 todo alento de encantamento

te despiram , te cuspiram,
 te enfeitaram, te veneraram
todas suas pistas, sua iscas,
em milícias mestiças

te possuíram, te ignoraram,
 te enfeitiçaram em puro desdém,

definham poréns e alternativas,
ígneos aproximados

Venenoso sarcasmo, desde seco à lentas doses diárias de companhia
de próximos exageros à prósperas exigências -  cenas de afetação

cospem fogo,
malabaristas que só,
 da ilusão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário