terça-feira, 18 de maio de 2010

Imperativa Sugestiva

Em o franco declínio do pudor forjado.

Sabe aquela velha moral imoral, capaz de reprimir até o que é natural?
Nela o menor espaço entre duas pessoas ficaria censurado, vetado de sua potência impetuosa.

Pulsante trajetória: punção de vida e de morte.

Entorpecente, de tão bruscamente deturpadora que é.
Somos isso e muito mais!

Seria possível contornar todas as inconveniências com uma boa retórica?

Controvérsias são fatos expressando-se por si mesmos,
acabam por comprometer o processo de inversão do avesso adverso.

Quem sabe, num futuro próximo, poderíamos até desviar outros olhares para esse encanto de desencantar tabus?
 E nesse momento, creio que o paradigma fantástico da autenticidade haverá de servir.

Dialético processo de criação/destruição: sua reputação!

Poderíamos tocar rimas dissonantes,
absorver diálogos dissidentes,
acometer fraturas colaterais
e operar sonoras materializações.

Estamos afundados na lama cartesiana.
Corrompidos por ensejos conspiratórios.
Atitude blasé! Pode crê de BG!

E uma caótica movimentação catártica se instalou...
E a boemia absorta na noite molhada subiu no conceito do inusitado.

É, pode acontecer!

Nem sempre os astros estão alinhados,
nem sempre os olhares se cruzam,
e nem sempre
A PORTA ESTÁ ENTREABERTA.


"Ficamos até mesmo todos juntos
reunidos numa pessoa só..."

             Arnaldo Batista- Loki

Nenhum comentário:

Postar um comentário